Notícias de Maria Audenete


Sobre a história de Maria Audenete, publicada no post intitulado O Curioso Caso de Maria Audenete, ficou a dúvida inquietante de como se desenrolará os dias da jovem de 28 anos que vive no corpo de um bebê de oito meses, que ainda tem dente de leite, que não anda, que não fala, e depois de aparecer na TV local e nacional,e de receber promessas de políticos. Como ela está hoje?
Reproduzo reportagem publicada no Jornal O Povo publicada nesta segunda-feira:
É como um segundo nascimento. Aos poucos, Maria Audenete, 28 anos em uma vida de oito meses, vem à tona. "Ela tinha a cara inchada, não tem mais. E tava muito descorada. Agora, a gente vê os lábios dela bem róseo. O bucho era fofo, tanto fazia ter comida como não. Já obrou sem precisar tomar remédio, graças a Deus", vigia,dia e noite, Francisca dos Santos (dona Dôra). Foram 20 dias de internação,no Hospital Universitário Walter Cantídio. Audenete iniciou o tratamento-um comprimido,em jejum,para sempre-que lhe possibilitará recuperar o mínimo dos anos perdidos.
Ela deve "crescer coisinha pouca", espera dona Dôra, além de andar e falar. Difícil é compreender o mundo depois da porteira. O desenvolvimento mental de Audenete, pelo retardo no diagnóstico e no tratamento do hipotireoidismo congênito, deve se limitar a uma infãncia. Foi a primeira vez," que ela teve esses exames.Pra não dizer que ela nunca tinha ido a médico,levei,uma vez,ao hospital de Caucaia. Uma doutora só fez olhar,examinou,botou ela na mesa,mediu e disse: 'Mãezinha,não se pode fazer nada. Só com Deus'.Aí, a gente voltou,achando que amenina nao tinha nem jeito mais". Isso foi quando "a mãe (de dona Dôra) ainda era viva... a mãe já fez oito anos de falecida".
A morte do pobre começa pela ignorãncia.Pelo desaparecimento do mundo.Passou o agente de saúde,passaram-se as eleições e só dona Raimundinha, que assa churrasquinho no Tbapuá,percebeu Audenete. bateu fotografia e mostrou na televisão. Trouxe repórter até de São Paulo. E foi tanto exame, que dona Dõra arruma um jeito para resumir: "Sei bem do raio-x...Exame da cabeça,das mãos,dos pés,costela,barriga,ultrassom...Exame de sangue,urina,uma tal de coleta... Fizeram um exame mnuma máquina pra ver o que ela tinha na garganta. Tinha dois 'carocim',do lado e d'outro,parece um caroço daquelas fava de boi".
Ainda não é fácil chegar até Muquém,localidade encravada no mato,onde a família de Raimundo Nonato Ferreira do Nascimento (seu Mundico) enraizou-se. A estrada se desmancha sob os pés ( o carro mesmo desistiu). Esse é o caminho mais curto. Da primeira vez foi pior,embrenhando-se pelo "língua de cobra"-como o povo apelidou o arrodeio. E,às cegas,valendo-se da curiosidade alheia;todo passante conhecia "a-menina-da-televisão","a mulher-bebê".
Agora, dona Raimundinha, que deixa o preparo do churrasquinho para servir de assessora da imprensa,levando repórter a qualquer hora, faz questão de ir, ajudar na travessia. A Prefeitura de Caucaia-município na Região metropolitana de Fortaleza, do qual Muquém é um "primo pobre"-promoteu ajeitar a estrada, e a chuva não deixa. Passou só o trator. Serviço que vai por água abaixo. Mas,para dona Dôra,que ainda espera por uma ma´quina de costura para fazer seus remendos, as coisas estão melhores.
É que a filha que ela escolheu criar,aos poucos,renasce. NO Hospital Walter Cantídio, Audenete ganhou brincos (foi quando a jovem furou a sorelhas),uma bota(ela calça número 20) e um maiô. "Já tirou foi foto de maiô e bota!",ri-se dona Dôra. Está menos inchada,"e é porque comeu uma 'baciada' de sopa!". Descobre o redor."Ela não tinha ânimo pra nada.Hoje, a gente pega debaixo do braço dela,ela quer correr!". Já sobe e desce do sofá. "Ela não fazia isso". Dia desses, chegou até a cozinha.
Aos poucos, Maria Audenete vem à tona. "Da vista do que era, ela tá excelente. Porque eu não via os olhos dela,agora ,vejo". Aos poucos, vai saindo do silêncio. "Eu ensino:'Danete, a mamãe,o papai'... Ontem, cheguei da rua,ela tava chorando. Eu ouvi quase direito ela dizer 'mã-mã',pedindo pra mim tirar ela do berço", vbigia dona Dôra.

Audenete ficou internada no Hospital Universitário Walter Cantídio ( da Universidade Federal do Ceará) entre 23 de Junho e 12 de Julho deste ano. O período de internação "serviu para a gente fazer exames e iniciar o tratamento",sintetiza o endocrinologista Miguel Hissa. Foi confiramdo o hipotireoidismo congênito.
A doença é hereditária e causada por anormalidade na foramção da tireóide. A falta de enzima impossiblita que a glândula produza quantidades adequadas do hormônio tireoidiano (T4). Isso compromete uma série de processos metabólicos, como o cresciemento e o desenvolvimento mental.
Dificuldade respiratória, choro rouco,prisão de ventre,sonolência excessiva,hpérnia umbilical e pele seca são alguns dos sintomas. O Teste do Pezinho,realizado no recém-nascido e gratuito,é fundamental para o diagnóstico precoce. A cada quatro mil nascimentos,em me´dia, ocorre um caso de hipotireoidismo congênito.
O tratamento é por via oral, sob orientação médica. Quanto mais cedo for iniciado,maiores são a schances de reversão das sequelas. O remédio prescrito para Audenete foi o Levoid,ou Puran T4, com o princípio ativo levatiroxina 50mg. Acaixa (30 comprimidos) custa entre R$ 9 e R$ 12. Miguel Hissa fornece amostras grátis para Audenete.

Além da certidão de nascimento, a guia do Hospital Universitário Walter Cantídio, emitida no dia da alta médica (12 de Julho), diz um pouco mais de Maria Audenete Ferreira do Nasciemento: ela pesa 11 quilos, tem 76 centímentros de altura, "senta,anda com apoio,usa mão direita para comer com colher,boa interação social".

4 Responses
  1. Kellen Says:

    Amilton,
    Obrigada por nos manter informados sobre este caso. Este caso me chocou muito.
    É muito triste saber que tudo isto poderia ter sido evitado, se tivesse sido diagnósticado pelo teste do pezinho. Espero que um dia, em nosso país todas as crianças possam ter acesso a um médico e consequentemente ao teste do pezinho.
    Bjssssssss


  2. Igor Says:

    Parabéns pela matéria! Foi a única que consegui encontrar que aborda o aspecto da saúde de Maria Audenete, pois o assunto tem sido tratado somente pelo seu aspecto bizarro ou curioso. Faltam pessoas de bom senso, que tratem assuntos como este com do devido respeito. Parabéns mesmo, são de pessoas que veem com a mesma seriedade que este mundo precisa. Um grande abraço.
    Karin


  3. Thanks for keeping us informed. Is there anyway to find out how she is currently doing? Thanks Jaime


  4. Amilton Says:

    Jaime this page is very important about the case: https://www.facebook.com/mulherbebe